Câmara cobra aplicação de recursos

Vereadores que acompanharam na sexta-feira (28/2), a prestação de contas do Município referente ao 3º quadrimestre de 2019 cobraram aplicação de recursos em caixa da prefeitura em obras e projetos importantes e necessários para Montes Claros.

O vice-presidente da Comissão de Finanças da Câmara de Montes Claros, Vereador Edmilson Magalhães (PSDB), cobrou a aplicação mais eficaz dos recursos destinados à iluminação pública. De acordo com a prestação de contas, o município fechou o ano de 2019 com R$12.279.339,04 milhões em caixa, para este setor, serviço que de acordo com o parlamentar está deficitário.

Ele reclamou que a administração ainda não fez extensão de redes: “nós temos  mais de 500 pontos  de rede elétrica pública para se fazer e ainda não houve nenhuma licitação para este serviço. A população cobra um direito e por isso estamos insistindo, já que vemos  recursos em caixa”, ressaltou Magalhães.

O vereador Valdecy Contador (PMN), também pediu a aplicação de recursos na iluminação pública. Ele ressaltou que desde 2017 envia requerimentos pedindo o serviço e até hoje não obteve resposta do secretário de Infraestrutura, Guilherme Guimarães: “precisamos dar uma resposta à população. E Vendo que tem dinheiro em caixa, esperamos, agora uma definição de quando a licitação será feita”, destacou Valdecy.

Aldair Fagundes (PT), elogiou a prestação de contas: “é uma forma de mostrar como a administração está trabalhando. Somos fiscalizadores do trabalho da prefeitura e podemos ver que  existe um empenho  em mostrar com clareza todo o investimento feito na nossa cidade”, elogiou  Aldair.

O vice-presidente da Casa, Vereador Soter Magno (PP), assim como o Aldair, ressaltou que este seria um bom momento para os parlamentares tirarem as dúvidas sobre a aplicação dos recursos.

Ele concordou que ter recursos em caixa é importante neste momento difícil que o Estado está passando: “sabemos que o estado tem uma grande dívida com o município, sem data para ser quitada, por isso é importante manter o dinheiro em caixa. Se não houve repasse de recursos, garantirá até mesmo a folha de pagamento que sabemos, se deixar de pagar dois meses, da  mais de R$ 80 milhões, boa parte do recurso em caixa”, lembrou Soter.

 

Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal de Montes Claros - publicado em 4 de Março de 2020