Chuva provoca estragos

Chuva provoca estragos Foto: Manoel Freitas

A tão esperada chuva que ocorreu nesta semana em Montes Claros trouxe alívio para o forte calor que a população estava sofrendo, mas também causou estragos em diversos pontos da cidade. A avenida Vicente Guimarães (que está em obras) foi praticamente destruída, o asfalto recém-colocado foi levado pelas águas. A Câmara de Montes Claros fez requerimento solicitando drenagem nos principais pontos de alagamento.

Segundo o Vereador Ailton do Vilage (PHS), o asfalto novo foi arrancando logo com as primeiras chuvas e as ruas que não possuem pavimentação ficaram na lama. O parlamentar destacou que um quilômetro de asfalto por bairro não resolve os problemas da população.

“Não dá pra ficar de braços cruzados ao ver casas alagadas. Os moradores que já são carentes, estão perdendo o pouco que tem e tudo isso por falta de estrutura. Algumas ruas não têm como transitar, como as do bairro Jaraguá”, afirmou Ailton.

A Vereadora Neia do Criança Feliz (DC) também pontuou a situação “caótica” que ficou o Vila Real (recentemente asfaltado). As ruas foram destruídas, o que de acordo com a parlamentar, a situação poderia ter sido evitada, se a Prefeitura tivesse atendido os requerimentos enviados por ela, pedindo drenagem nas vias.

CHUVA NA ZONA RURAL

A chuva também ajudou os flagelados que vivem na zona rural, porém, as estradas ficaram intransitáveis – é o que aponta o Vereador Ildeu Maia (PP).

“As estradas estão interditadas com pontes caídas. As pessoas estão ilhadas, como o distrito de Santa Rosa de Lima. Tem quase três anos desta atual gestão e não foi feito nenhuma obra nas estradas”, ressaltou Maia.

O Vereador Soter Magno (PP) solicitou a criação de barraginhas para captar a água da chuva para amenizar a escassez hídrica da cidade. Já o legislador Daniel Dias (PCdoB) encaminhou requerimento pedindo o serviço de drenagem nos principais pontos de alagamento.

 

Assessoria de Comunicação da Câmara Municipal de Montes Claros  - Publicado em  22 de novembro de 2019