Esurb faz prestação de contas e apresenta avanços

 Esurb faz prestação de contas e apresenta avanços Ascom/Câmara

A Empresa Municipal de Obras, Serviços e Urbanização (Esurb), fez nesta sexta-feira (27), na Câmara Municipal, a prestação de contas, referente a 2018 e apresentou o relatório sobre a atual situação ao conselho, formado por quatro representantes da sociedade civil e dois vereadores: Edmílson Magalhães (PSDB) e Valcir da Ademoc (PTB). Acompanharam também a prestação de contas da Esurb, o presidente da Casa, Marcos Nem(PSD), Oliveira Lega (PPS), e Maria Helena Lopes (PPL).

Na avaliação do conselheiro e vereador Valcir, o executivo deveria priorizar a Esurb, como uma empreiteira, que presta bom serviço com um melhor orçamento. Para o parlamentar, a recuperação fiscal da empresa, vai acontecer quando o município repassar mais obras.

Como resultado da reunião, os vereadores decidiram agendar um encontro com o prefeito para sensibilizá-lo a repassar mais obras, ressaltando a importância do serviço para o município:“vamos pedir ao prefeito que dê à Esurb o trabalho de asfaltamento das ruas indicadas pelos parlamentares”, destacou Valcir.

Edmilson Magalhães fez um balaço da prestação de contas. Junto com os outros conselheiros acompanha de perto o trabalho da empresa apoiando na sua reestruturação. Há cada dois meses a Esurb apresenta ao conselho um relatório das atividades e gastos.

O vereador ressaltou que a empresa está encontrando o caminho: “as dívidas estão, mesmo que lentamente, mas gradativamente, diminuindo. E mais importante é que a empresa está pagando seus funcionários em dia há mais de seis meses, inclusive já repassou a primeira parcela do décimo terceiro. Também está renegociando os processos trabalhistas, firmando vários acordos e buscando o crescimento e a estabilização”, destacou Edmilson. De acordo com o conselheiro as dívidas da Esurb, com tributos federais e estaduais, ultrapassam os 25 milhões:“são dívidas antigas, 90 % trabalhistas, algumas com fornecedores. Problemas oriundos de outras gestões”, explicou Edmílson.

Informou também que a diretoria e funcionários da Esurb têm buscado, com dedicação, o desenvolvimento da empresa. De acordo com ele, hoje, a prefeitura repassa o serviço, fornece todo material, aluga o equipamento e a Esurb entra com a mão de obra: “com o serviço ela consegue fazer seu caixa, pagar os funcionários e sanar as dívidas do dia a dia”, explicou.

A esperança dos conselheiros e da diretoria da Esurb é a resposta de um processo de recuperação judicial que está no Superior Tribunal Federal (STF). Sendo positiva permitirá a empresa prestar serviço não só para a prefeitura de Montes Claros como para outros municípios e empresas.

O presidente da Esurb, o engenheiro de telecomunicações, Edilson Morais Lopes acredita que com a redução do deficit, a empresa ganhou um fôlego para caminhar e com boas perspectivas. Ele destacou que a recuperação é lenta, isso por conta das dívidas fiscais e trabalhistas que ainda estão sendo negociadas. Acredita que em quatro ou cinco anos a empresa poderá está andando com suas próprias pernas: “a Esurb foi sucateada nas administrações anteriores. Estamos levantando agora máquinas, veículos, trabalhando pesado com o pessoal para aumentar o faturamento diminuindo o deficit”, destacou Edilson.

Hoje a Esurb conta com 250 funcionários e por causa do problema fiscal, só pode fornecer serviço para a prefeitura de Montes Claros. Sanada a questão das dívidas a empresa poderá prestar assistência para qualquer prefeitura ou empresa da região.