Falta agilidade para revitalizar Lagoa de Interlagos

Falta agilidade para revitalizar Lagoa de Interlagos Fábio Marçal/PMMC

Um dos destaque da reunião da Câmara Montes Claros, terça-feira (10), foi a morosidade da Prefeitura de Montes Claros para o uso do recurso para revitalizar a Lagoa de Interlagos, em Montes Claros. A pauta foi apresentada pelo vereador Dr. Valdivino (MDB), que preocupado, alertou.

“Os R$ 500 mil que já estão na conta do Município poderão ser devolvidos se não forem usados até outubro deste ano. Não consigo compreender porque o projeto está emperrado. Ainda tem outras duas parcelas para serem depositadas, mas a primeira tem que ser usada para as outras duas cheguem ao Tesouro Municipal”, diz o Dr. Valdivino.

O recurso

A emenda é do deputado Estadual, Tadeu Martins Leite (MDB). Segundo a assessoria do parlamentar, “a vigência do convênio celebrado entre a Prefeitura e o Estado, e que já foi prorrogado uma vez, termina no dia 23 de outubro próximo. O convênio previa a liberação de R$ 1,5 milhão em três parcelas de R$ 500 mil. A primeira parcela foi depositada em uma conta específica do município no dia 27 de outubro de 2017, há quase dois anos”.

“Se a obra não começar até esta data, realmente existe o risco do meio milhão que já está depositado ter de ser devolvido, corrigido, ao Estado. Cabe ao município decidir se inicia a obra, se devolve o recurso ou se pede mais uma prorrogação no prazo de vigência do convênio”, informou Tadeu Martins Leite.

O projeto

O projeto visa construir calçadas ao redor do lago, urbanizando com uma pista de cooper e feito um estudo de pavimentação na região onde o deslocamento de terra contribui para o assoreamento da lagoa. A lagoa foi criada pelo ex-prefeito Antônio Lafetá Rebelo, com nome de Lago Norte.

O que diz a Prefeitura

O secretário de Infraestrutura de Montes Claros, Guilherme Guimarães, informou que segue orientações de Marco Aurélio de Barcelos Silva, secretário de Estado de Infraestrutura e Mobilidade de Minas Gerais, que indicou uma nova prorrogação do convênio, uma vez que, o Estado não tem verba para repassar ao município as outras parcelas para finalizar a obra. Ele disse que é prudente prorrogar e esperar o caixa do Estado de restabelecer.

Assessoria de Comunicação
Câmara Municipal de Montes Claros

Publicado em 11/09/2019