Câmara cobra plano de carreira dos professores

O Plano Municipal de Educação da rede municipal de Montes Claros, foi aprovado em 2015, e deveria ser revisado a cada dois anos, até 2025. Contudo, desde 2017, prazo para o plano ser revisto, a prefeitura não encaminhou nenhum tipo de proposta para melhorar o serviço dos profissionais da educação, especialmente dos professores.

De acordo com o Vereador Daniel Dias (PCdoB) é preciso ser revisto o piso salarial dos professores, adequando com o nacional. Segundo o parlamentar, o município, na gestão anterior, instaurou uma comissão para pontuar as necessidades da classe e apresentar ao Executivo. Agora, cabe o Prefeito Humberto Souto (Cidadania) elaborar projeto de lei e encaminhar à Câmara para os vereadores analisarem e votarem a proposta.

“O que o município está fazendo é uma ilegalidade, uma vez que está na lei que deve haver essa readequação no plano de carreira do magistério. O piso deveria ser pago por cargo que o profissional ocupa e não por hora”, enfatiza Daniel que também é presidente da Comissão de Educação da Câmara e membro do Conselho Municipal de Educação.

Ainda de acordo o vereador, outra necessidade é a alteração do modulo dois, em que professores trabalham atualmente 25h semanais e que parte dessa hora deve ser cumprida dentro da sala de aula para fazer serviços extraclasses, como o planejamento das aulas.

“Queremos que o município adéque com o estado, em que 2/3 desse horário seja de livre escolha do educador, como planos em biblioteca, seminários, entre outros. Também é necessário que seja pago o piso salarial de R$2.557,73 mil – Montes Claros paga R$2 mil” encerra Daniel.